domingo, 25 de setembro de 2016

RESENHA: ASSIM CREMOS, PECADO, GREÇA E FÉ NA ORTODOXIA ARMINIANA. LUÍS HENRIQUE S. SILVA: EDITORA REFLEXÃO


RESENHA

Valdemir Pires Moreira*

S. SILVA, LUÍS HENRIQUE.

Assim Cremos

São Paulo: Editora Reflexão, 2016, 108 p.


Faz-se necessário compreendermos aquilo que professamos crer, pois, quando cremos em algo que não sabemos explicar, corremos o risco de sermos confundidos. Atribuir a uma teologia aquilo que na sua realidade ela não ensina, beira a desonestidade ou no mínimo a falta de conhecimento do assunto.
Assim Cremos é uma obra de linha arminiana, que reafirma o que nós arminianos cremos no que diz respeito ao pecado, a graça e a fé. É uma obra que traz um pano de fundo histórico e apologético. O professor de teologia Luís Henrique S. Silva, cativa-nos trazendo fatos históricos que comprovam a autenticidade ortodoxa da teologia arminiana.
Na introdução há um alerta para que não nos descuidemos de conhecer a história da igreja, também um convite a defesa da ortodoxia diante das heresias que tanto assolaram a igreja no decorrer dos tempos e igualmente em nossos dias. Chama-nos a atenção para o fato de que se faz necessário fixarmos a ortodoxia arminiana, como forma de prepararmos as futuras gerações de teólogos arminianos e darmos aos não arminianos uma exposição fiel e resumida da teologia arminiana. Aborda ainda, o debate histórico entre Santo Agostinho e Pelágio, discorre sobre a doutrina da graça em Agostinho, Pelágio, João Cassiano, Armínio, nos Remonstrantes e em John Wesley. Deixa claro através de relatos históricos que o semipelagianismo tem mais a ver com Agostinho do que com Armínio, informando-nos que na verdade os semipelagianos não eram discípulos de Pelágio e sim admiradores de Agostinho. O autor ainda traz uma definição sobre a fé, e desfaz acusações infundadas contra o arminianismo de que a teologia arminiana compreende a fé como uma moeda de troca para com Deus, e que a fé no arminianismo é mérito humano. Conclui sua obra convidando-nos para a observação do arminianismo prático, isso é, que o arminianismo em suas raízes tem o compromisso prático de vivermos e nos movermos de acordo com as Sagradas Escrituras, de maneira irênica com quem quer que seja, agindo com amor a Palavra, ao próximo e em paz com todos.
A obra se faz necessária pelo fato de nos apresenta a teologia arminiana abordando sua ortodoxia bíblica. Agradeço ao irmão Luís Henrique por mais essa obra arminiana que com certeza ajudará a preparar as próximas gerações de teólogos arminianos.

*Valdemir Pires Moreira é diácono da Igreja Evangélica Assembleia de Deus de Caucaia (CE), professor da Escola Bíblica Dominical e Administrador das páginas no Facebook: Teologia Arminiana em Vídeos e Teologia Arminiana em Livros.

terça-feira, 13 de setembro de 2016

A NEGLIGÊNCIA SOBRE JACÓ ARMÍNIO E SOBRE SUA TEOLOGIA.




Por Valdemir Pires Moreira

A negligência sobre Armínio e sobre sua teologia no decorrer dos tempos se deu por vários fatores, Keith D. Stanglin & Thomas MacCall, na obra  Jacó Armínio, teólogo da graça, nos aponta alguns desses fatores. Iremos comentar sobre um deles:

Um dos motivos apontados pelos especialistas em Armínio, o que colaborou para que se negligenciassem o teólogo da graça e sua teologia, foi o fato de que ele não escreveu tanto em comparação com outros teólogos como Martinho Lutero e João Calvino. Isso não se deu pelo fato de que Armínio não tivesse capacidade intelectual para tal serviço, não! Jacó Armínio foi um talentoso teólogo com um intelecto extraordinário, esse talento, foi reconhecido por muitos, o próprio Beza (sucessor de João Calvino) reconheceu tal talento em Armínio. O motivo, é que Jacó Armínio foi um ministro e professor e que teve pouca ambição pela escrita.

O que Jacó Armínio, escreveu se deu no campo da polemismo e apologética, ou seja, o fez na sua maioria, para esclarecer alguns pontos teológicos que ele discordava em sua época, e para refutar e se defender das mais diversas acusações contra sua pessoa e seus ensinos. De qualquer forma não escreveu como se estivesse fazendo isso para um público em geral, ele não escreveu nenhuma teologia sistemática e nem um comentário completo sobre a Bíblia. Ele não tem nenhuma obra como A Escravidão da Vontade de Martinho Lutero ou algo como as Institutas da Religião Cristã de João Calvino.

Apesar da negligencia de Armínio, no que diz respeito da ambição de escrever, seu pensamento tomou a Europa Continental, Grã-Bretanha e América do Norte, chegando no Brasil onde sua teologia tem sido proclamada por aqueles que reconhecem o valor do pouco (mas profundo) do que esse teólogo escreveu, apesar, de muitas vezes sua teologia ser mais mal entendida do que compreendida (seja por aqueles que se dizem arminianos ou na maioria das vezes por seus opositores), isso é motivo, para que continuemos avançando na descoberta do pensamento real desse teólogo que tem tanto a contribuir com a teologia cristã.

*Valdemir Pires Moreira é diácono da Igreja Evangélica Assembleia de Deus de Caucaia (CE), professor da Escola Bíblica Dominical e Administrador das páginas no Facebook: Teologia Arminiana em Vídeos e Teologia Arminiana em Livros.