segunda-feira, 13 de junho de 2011

HISTÓRIAS QUE MARCAM O CENTENÁRIO DAS ASSEMBLEIAS DE DEUS NO MUNICÍPIO DE CAUCAIA





Por: Valdemir Pires Moreira

Na antiga Soure, hoje Município de Caucaia, área metropolitana de Fortaleza, o cearense Joaquim Pereira Filho sofreu muito pelo amor de Jesus. Encarregado do trabalho em uma salina, Joaquim era conhecido desordeiro e beberrão. Mas, ouvindo o testemunho de um colega, aceitou a Cristo e foi batizado com o Espírito Santo. Ele e toda a família.

Como retaliação, Joaquim foi expulso da fazenda junto com o irmão que o evangelizou. Depois, Jesus abençoou tanto o irmão Joaquim que ele doou um lote de terra para edificação de um templo da Assembleia de Deus.

Desde então o Senhor Jesus vem abençoando o Município de Caucaia grandemente. A Igreja Evangélica Assembleia de Deus de Caucaia estar comemorando o Centenário, e agradecendo a Deus por tudo o que Ele fez e estar fazendo neste Município, as Lutas são grandes, mais o Senhor Jesus estar no nosso barco cessando as tempestades que si levantam contra o povo de Deus.

Agradeço ao meu Deus, por ter conduzido a minha família a esta cidade, aqui encontrei Jesus, que me resgatou das trevas para sua maravilhosa presença. Louvado seja o nome do nosso Deus para todo sempre. Amém.



sexta-feira, 10 de junho de 2011

MISSIONÁRIO FOI PROIBIDO DE SEPULTAR O FILHO



Otto Nelson foi informado que o padre local não permitiria, alegando que o cemitério era da igreja católica

1936: os primeiros missionários americanos chegaram para atuar junto às Assembleias de Deus brasileiras. Segundo a cronologia dos primórdios protestantes no Brasil elaborada em 2003 pelo Prolades, as Assembleias de Deus norte-americanas teriam começado a atuar em terras brasileiras a partir de 1925. Mas, não há documentos que comprovam essa informação. Oficialmente, as Assembléias de Deus norte-americanas enviaram missionários para o Brasil a partir de 1936.

Neste ano, o Departamento de Missões do Concílio Geral da Assembly of God (Assembleia de Deus) decidiu fazer do Brasil mais um dos seus campos missionários em volta do mundo. O comunicado impresso na revista Pentecostal Evangel de janeiro de 1936 dizia que, por muitos anos tinha sido política de trabalho do Concílio Geral, encaminhar todos os candidatos à obra missionária no Brasil para a Missão Livre Sueca que, segundo entendiam, estavam fazendo um trabalho eficiente em terras brasileiras. Mas, como continuavam a chegar pedidos de candidatos e alguns desses informarem a impossibilidade dos missionários suecos evangelizarem todo o grande país com uma população na época de 40 milhões de habitantes, o Departamento de Missões da AG resolveu atender aos apelos dos candidatos e aos convites para entrar no campo brasileiro.
Então, foram aprovados e enviados seis missionários: Orland Spencer Boyer e sua esposa, Ethel Boyer, que haviam estado no Brasil anteriormente por outra denominação; Vernon Fullerton e sua esposa, Ruth, filha do casal Boyer; e Frank John Stalter e sua esposa, Louise.

Foi estabelecido no Brasil o Fellowship Field da Assembly of God, que atualmente se chama Conselho Geral das Assembleias de Deus no Brasil e somam no seu total mundial de membros a membresia das Assembleias de Deus brasileiras.
Missionário foi proibido sepultar o filho no cemitério por ordem de um padre
Pelos idos de 1916-17, o missionário sueco Otto Nelson morava no bairro de Bebedouro, na Rua Dr. Passos de Miranda, em Maceió, Alagoas. Ao tentar sepultar seu terceiro filho, Davi, que morrera aos dez meses de idade, foi informado que o padre local não permitia, alegando que o cemitério era da igreja católica, e que “hereges” não podiam ser enterrados lá. Por causa desta ordem, os coveiros cavaram a sepultura do garoto no lado de fora do cemitério. Além desta ação, o tal sacerdote instigou os católicos romanos dessa comunidade a se levantarem furiosamente contra os crentes. Sem ter como enterrar o seu filhinho, Otto Nelson orou a Deus, suplicando-lhe uma solução urgente, a qual chegou imediatamente, pois o delegado, ao tomar conhecimento da proibição imposta pelo sacerdote, mandou que uma escolta de soldados acompanhasse o enterro até o cemitério, e ali guarnecesse os crentes, enquanto era realizada a cerimônia de sepultamento, que aconteceu à noite, à luz de candeeiros.

Pastor Isael de Araujo é responsável pelo Centro de Documentação, Informação e Pesquisa (Cdip) da CPAD e pelo Centro de Estudos do Movimento Pentecostal (CemP). É autor do Dicionário do Movimento Pentecostal (CPAD).

Blog http://dicionariomovimentopentecostal.blogspot.com